Seguidores

domingo, 11 de maio de 2014

MÃES PRECISAVAM SER ETERNAS...


Desejo a todos um feliz dia das mães!
O meu está sendo ótimo, só minha filha não pode estar aqui comigo mas almoçamos todos em família e minha mãe, é claro estava presente.
Deixa eu contar um pouco sobre minha mãe:
O nome dela é Elvira, nasceu na cidade de Ingás/SP (Distrito de Nova Granada), no sítio. Trabalhou na roça, aprendeu corte e costura e dava aulas para as mulheres da região.
Minha mãe sempre gostou de aprender e de se informar. Ela queria estudar, porém, naquela época era impossível, já que isto implicava ela ter que sair de casa e ir para alguma cidade vizinha. Por este motivo somente meu tio Helio, o único irmão de minha mãe saiu para estudar fora de casa.
Mas com muita força de vontade e curiosidade,  minha mãe exercia várias tarefas na cidadezinha em que vivia. Ela aplicava injeções, cortava cabelos, fazia permanentes, costurava e ajudava os pais na plantação e deveres de casa. Casou-se muito cedo com meu pai, que vinha de uma família numerosa e morava na mesma região.
Meus avós, segundo minha mãe nunca se entenderam bem e haviam brigas constantes em casa, coisa que a deixava muito aborrecida. Desde criança ela tinha desmaios, cuja causa jamais foi diagnosticada. Este problema cessou a partir de quando deu a luz a sua primeira filha, cujo parto foi muito complicado. O médico avisou meu pai de que só poderia salvar uma das duas, e então eles pediram que salvassem a minha mãe. Naquele tempo o parto era feito em casa, não havendo qualquer recurso clínico para estas complicações. No entanto, o médico que a atendeu era devoto de Santo Antonio e de Santa Terezinha e fez uma promessa: Se conseguisse salvar a mãe e a criança, esta se chamaria Antonio ou Terezinha. É claro que ele pediu o consentimento dos meus pais primeiro. E assim, depois de muita luta e sofrimento, minha irmã nasceu e ambas sobreviveram. Minha irmã se chama Terezinha em agradecimento à Santa. 
Quatro anos depois minha mãe engravidou de mim, mas não estava preparada para passar por mais um parto, assim sendo passou toda a gravidez com medo de que o parto fosse igual ao primeiro. Este fato marcou a minha vida porque, eu cresci me sentindo rejeitada e ao mesmo tempo eu rejeitava minha mãe. Passei boa parte da minha vida me sentindo muito culpada porque minha mãe era uma pessoa muito querida por todos que a rodeavam. Só bem mais tarde eu comecei a procurar ajuda junto aos profissionais especializados. Fiz terapia, procurei psicologos, parapsicologos e tratamentos holísticos. E foi em uma seção de regressão que eu matei a charada. Descobri que minha mãe não me rejeitava mas tinha medo de um novo parto, que acabou se realizando sem maiores complicações.
Felizmente tudo foi esclarecido numa longa conversa que tive com minha mãe e ela pode me contar em detalhes tudo o que ocorreu. Eu a perdoei, a compreendi e a situação em relação a ela mudou totalmente. 
Gosto de contar este fato para que muita gente que tenha problemas com os pais vá procurar ajuda. Vale a pena descobrir os "porquês", isto nos trás um grande alívio e pode resolver uma série de problemas familiares.
Depois que nasci, passados quatro anos veio minha irmã caçula, a Odete. Fomos criadas com muito respeito e amor e temos uma grande admiração por esta mulher guerreira e batalhadora que soube nos dar uma boa educação. 
Aproveito a oportunidade pelo dia das mães para agradecer a Deus pela minha família e principalmente por esta mulher incrível que é minha mãe!
Sempre que posso a homenageio com algum poema, mas hoje resolvi contar um pouquinho da sua história para que todos saibam que mãe maravilhosa eu tenho!

Obrigada dona Elvira!!!!
 Te amo muito!!!!

 photo 36bef642.gif

11 comentários:

Evanir disse...

" Surpriendentes
As Cores
Que Damos
As Nossas Dores " ( Eloah)
Cada novo dia vem salpicado de
esperança e novas possibilidades.
E tudo é melhor quando o sol está brilhando
e nos aquecendo em cada alvorecer.
Não deixe que nada afete a alegria do seu coração.
A felicidade está alcance do teu abraço.
Então receba o meu.
E acredite é com todo amor que existe
na minha alma e meu coração.
Um feliz finalzinho do dia das mães amada amiga.
Uma feliz e abençoada semana.
Carinhosamente.
Evanir.

Vera Lúcia disse...


Olá Marineide,

Natural que sua mãe tivesse receio de outro parto, já que sofreu tanto no primeiro. Ainda bem que você procurou ajuda profissional para entender a razão da rejeição que sentia por sua mãe e tudo ficou esclarecido, restabelecendo o vínculo de amor entre vocês.
Grande mulher a sua mãe. Homenagem merecida.

Também tive um dia super agradável em família. Como minha mãe mora no interior, a 100 km daqui, fomos para lá e a família toda se reuniu. Houve muita alegria e farra com as crianças da família. Minha mãe já está com 87 anos (faz 88 no dia 31 deste mês). Está um tanto frágil, mas bem lúcida, graças a Deus.
Beijo em sua mãe e parabéns a você pelo dia.

Beijo.

Jorge Sader Filho disse...

Mães são sempre eternas, Marineide!

Grande abraço.

Tunin disse...

Que história bonita,essa? A tua mãe é autodidata. O meu pai era assim. Sabia fazer tudo. E que bom você ter resgatado, em tempo, o amor pela sua mãe e poder com tamanha sensibilidade, mostrar para o mundo esse feliz relato com riqueza de detalhes.
Parabéns, dona Elvira pelas filhas que tem. Parabéns, Marineide pela mãe e filha que é!
Abraços para as duas.

Eduardo Maria Nunes disse...

Carregam feridas internas...
Fazem sofrer o seu coração
Mães precisavam ser eternas
Algumas tão mal tratadas são!

Amiga Marineide, o dia da mãe, aqui em Portugal, foi comemorado no dia 4 deste mês de Maio!

Como ontem estive ausente, não respondi ao seu comentário. Por isso venho hoje agradecer a sua visita e desejar para todas as mães do mundo, em especial para as mães brasileiras que ontem comemoraram o seu dia! "Todos os dias, são dia da mãe" Tenha uma boa noite, um beijo.
Eduardo.

Anne Lieri disse...

Oi Mari! Que super história de vida de sua mãe! Adorei conhecer e apesar do meu atraso desejo felicidades a ela e a vc tb! Bjs e ótima semana!

Luma Rosa disse...

Oi, Marineide!
Diga para a sua mãe que ela ganhou uma admiradora!! :)
Gostei de saber da sua história de vida com sua mãe e isso me deu uma luz; eu tenho um amigo que vive como se uma nuvem negra pairasse sobre a sua cabeça. Diz os familiares que desde criancinha ele é birrento e negativo. Noutro dia ele me contou que antes dele, a mãe perdeu um filho no parto. Será que tem relação? Em todo o caso, com jeitinho, vou-lhe aconselhar procurar um terapeuta.
Felizes dias, mamães!!
Beijus,

MARILENE disse...

Seu depoimento, além de uma bela homenagem, mostra que muitos sentimentos negativos têm explicação lógica, e que nos basta conhecê-la para superar a insegurança. Você buscou respostas, o que lhe possibilita, hoje, mudar a antiga visão, aquela que lhe fazia mal. Que viva muitas alegrias ao lado de sua mãe e também como mãe. Bjs.

Beatriz Bragança disse...

Querida Marineide
Já li mil e uma formas de se homenagear uma mãe,porém a sua é verdadeiramente única!
Muitos parabéns à senhora sua Mãe,por ser a pessoa maravoilhosa que é!
Parabéns a si pela ideia feliz e por ser uma filha tão bem amada!
Um beijinho
Beatriz

Anne Lieri disse...

Mari,vim reler seus ótimos textos e agradecer sua visitinha! bjs,

Berço do Mundo disse...

Que lindo, Marineide. As relações familiares nem sempre são fáceis. O meu pai abandonou o lar eu tinha 15 anos e, apesar de ter sido um pai péssimo (em exemplo, amor e atenção), continuo com um peso na consciência por, depois de adulta, não ter feito um esforço sério para o conhecer melhor.
Agora é tarde, ele faleceu há cerca de uma década.
Em compensação, tenho uma mãe forte e companheira. Deus ma conserve por muitos anos...

Um abraço para si e para a sua mãe
Ruthia d'O Berço do Mundo

Related Posts with Thumbnails

RECOMENDO COM LOUVOR