Seguidores

terça-feira, 11 de setembro de 2012

A Cidade do Sol


Acabo de ler um livro que mexeu muito comigo. Li em três dias as 365 páginas...Não conseguia parar. É o segundo livro que leio do Khaled Hosseini, o primeiro foi Caçador de Pipas e este agora é A Cidade do Sol
Khaled nasceu em Cabul no Afeganistão, mora atualmente em  em San Jose, Califórnia, onde formou-se em medicina. 
Hosseini não viu seu país ser tomado pelos comunistas em um golpe cruel no fim da década de 70, pois, em virtude do pai trabalhar na embaixada, ele e a família moravam em Paris na França. Ele s receberam asilo político dos Estados Unidos e lá vivem até os dias de hoje. 
Mesmo não vivendo em seu país desde que houve a troca de poder do reino Afegão, com um intenso derramamento de sangue, o autor relata realisticamente os fatos que se sucederam a este e outros golpes que o Afeganistão sofreu sucessivamente. Já no Caçador de Pipas ele traça juntamente com a trama do livro um cenário das lutas e dos confrontos travados entre o governo e os milicianos, depois o comunismo, e mesmo com o fim da invasão soviética a luta continuava entre os próprios milicianos até a aterrorizante chegada da Al Qaeda no poder.
É muito gratificante saber destes fatos todos do lado de dentro do cenário. Até então tudo o que eu sabia vinha de fora, do ponto de vista dos poucos jornalistas e políticos norte americanos, mas nos dois livros de Hosseíni você tem uma visão mais real e mais ampla de tudo o que aconteceu naquele país. 

A Cidade do Sol, tem como enredo central a vida de uma garota, filha de mãe solteira e um pai poderoso que não pode assumi-la inteiramente. Com o desenvolver da estória a garota se casa e  vai para Cabul onde sua vida se cruza com uma outra personagem, com idade para ser sua filha e que, por ironia do destino acaba se casando com seu marido. São duas mulheres muito diferentes que acabam se encontrando no meio do caos, das tradições distorcidas e da intolerância dos homens pelas mulheres. As duas são protagonistas unidas pelo destino cruel que não possibilita outra saída a não ser um casamento cruel e sem nenhuma perspectiva de felicidade. 
Confesso que, apesar de já ter lido O Caçador de Pipas e O Livreiro de Cabul, ambos tendo como cenário o Afeganistão, suas mulheres e suas vidas miseráveis, este em especial me tocou profundamente. Quanto mais eu avançava na leitura mais agradecida eu ficava por ter nascido em um país livre, onde as mulheres, bem ou mal, estão conquistando cada vez mais o seu lugar na sociedade machista.
Aconselho a leitura deste livro, principalmente para aquelas mulheres que se sentem injustiçadas e infelizes. Aposto que, depois desta leitura, vocês entenderão a máxima: "Eu era feliz e não sabia!"

Fica a dica!
Beijos carinhosos!

Related Posts with Thumbnails

RECOMENDO COM LOUVOR