Seguidores

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Sobre estar sozinho


Eu me sinto apta a opinar sobre este texto, pois, depois de uma casamento de 10 anos e um noivado de 2 (quase casamento), decidi não mais me casar. Vivo junto comigo mesma desde que minha filha se casou e mudou para Cuiabá. Adoooooooooro!!!!!!! Não abro mão desta liberdade por nada deste mundo! Namorar é muito bom. Beijar na boca também, mas conviver junto, na mesma casa? Não obrigada! 
É realmente muito importante ficarmos um tempo sem ninguém. É a melhor maneira de nos conhecermos melhor...Só que depois a gente se acostuma e fica difícil convencer a outra parte de que, para manter um relacionamento saudável não é preciso juntar as escovas de dentes...E quando o outro não concorda dá um curto na relação...Aí você escolhe sempre aquilo que é melhor pra você e o que te faz mais feliz!!!



"Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milênio. As

relações afetivas também estão passando por profundas transformações e
revolucionando o conceito de amor.

O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos, na
qual exista individualidade, respeito, alegria e prazer de estar junto, e
não mais uma relação de dependência, em que um responsabiliza o outro pelo
seu bem-estar. A idéia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade,
que nasceu com o romantismo, está fadada a desaparecer neste início de
século. O amor romântico parte da premissa de que somos uma fração e
precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos.
Muitas vezes ocorre até um processo de despersonalização que,
historicamente, tem atingido mais a mulher. Ela abandona suas
características, para se amalgamar ao projeto masculino. A teoria da
ligação entre opostos também vem dessa raiz: o outro tem de saber fazer o
que eu não sei. Se sou manso, ele deve ser agressivo, e assim por diante.
Uma idéia prática de sobrevivência, e pouco romântica, por sinal.

A palavra de ordem deste século é parceria. Estamos trocando o amor
denecessidade, pelo amor de desejo. Eu gosto e desejo a companhia, mas não
preciso, o que é muito diferente. Com os avanços tecnológicos, que exige
mais tempo individual, as pessoas estão perdendo o pavor de ficar sozinha,
e aprendendo a conviver melhor consigo mesma. Elas estão começando a
perceber que se sente fração, mas são inteiras. O outro, com o qual se
estabelece um elo, também se sente uma fração. Não é príncipe ou salvador
de coisa nenhuma. É apenas um companheiro de viagem.

O homem é um animal que vai mudando o mundo, e depois tem de ir se
reciclando, para se adaptar ao mundo que fabricou. Estamos entrando na era
da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo. O egoísta não
tem energia própria; ele se alimenta da energia que vem do outro, seja ela
financeira ou moral.

A nova forma de amor, ou mais amor, tem nova feição e significado. Visa à
aproximação de dois inteiros, e não a união de duas metades. E ela só é
possível para aqueles que conseguirem trabalhar sua individualidade.
Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado
estará para uma boa relação afetiva.

A solidão é boa, ficar sozinho não é vergonhoso. Ao contrário, dá dignidade
à pessoa. As boas relações afetivas são ótimas, são muito parecidas com o
ficar sozinho, ninguém exige nada de ninguém e ambos crescem. Relações de
dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado. Cada
cérebro é único. Nosso modo de pensar e agir não serve de referência para
avaliar ninguém.

Muitas vezes, pensamos que o outro é nossa alma gêmea e, na verdade, o que
fizemos foi inventá-lo ao nosso gosto. Todas as pessoas deveriam ficar
sozinhas de vez em quando, para estabelecer um diálogo interno e descobrir
sua força pessoal. Na solidão, o indivíduo entende que a harmonia e a paz
de espírito só podem ser encontradas dentro dele mesmo, e não a partir do
outro. Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo
quanto às diferenças, respeitando a maneira de ser de cada um.

O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável. Nesse tipo de ligação,
há o aconchego, o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado.

Nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo..."

(Flávio Gikovate, médico psicoterapeuta)




Beijos carinhosos


DENGUE NUNCA MAIS!!!


Aguém que já teve dengue, como eu, sente arrepios só de pensar no malfadado mosquitinho Aedes Aegypt. É por isso que estou postando estas receitas,  para vocês fazerem em casa. A primeira trata-se de uma mistura que você pode fazer e passar uma gotinha no corpo ou nos cômodos da casa. A segunda, como mostra na figura, é mais simples ainda, e pode estar ao alcance de todos, pois são receitas baratas, simples e estão ao alcance de todos . Afinal, é melhor prevenir do que remediar. 

"Senhores, volto a insistir, com tanta chuva, está sendo impossível controlar poças d'agua e criadouros, como sabem. 
Estou fazendo um trabalho de formiguinha e está dando certo. 
Este repelente caseiro, ingredientes de grande disponibilidade, fácil de preparar em casa, de agradável aroma, econômico. 
Em contato com pessoas, tenho notado que não se protegem, estão reclamando que crianças estão cheias de picadas. 
Tenho distribuído frascos como amostra, todos estão aderindo. 
Já distribuí 500 frascos e continuo. 
Mas, sou sozinha, trabalhando com recursos próprios, devido ao grande número de casos de dengue, não consigo abranger. 
Gostaria que a SUCEN sugerisse aos municípios distribuir este repelente (numa emergência) nos bairros carentes com focos da dengue, ensinando o povo para futuramente preparar e usar diariamente, como se usa sabonete, pasta de dente. 
Protegeria as pessoas e ao mesmo tempo, diminuiria a fonte de proteína do sangue humano para o aedes maturar seus ovos, atrapalhando assim, a proliferação. 
Não acham que qualquer ação que venha a somar nesta luta deveria ser bem vinda? 


DENGUE I: 
FAÇA O REPELENTE DOS PESCADORES EM CASA: 
1/2 litro de álcool;- 1 pacote de cravo da Índia (10 gr);- 1 vidro de óleo de nenê (100ml) 
Deixe o cravo curtindo no álcool uns 4 dias agitando, cedo e de tarde; 
Depois coloque o óleo corporal (pode ser de amêndoas, camomila, erva-doce, aloe vera). 
Passe só uma gota no braço e pernas e o mosquito foge do cômodo. O cravo espanta formigas da cozinha e dos eletrônicos, espanta as pulgas dos animais. 
O repelente evita que o mosquito sugue o sangue, assim, ele não consegue maturar os ovos e atrapalha a postura, vai diminuindo a proliferação. A comunidade toda tem de usar, como num mutirão. Não forneça sangue para o aedes aegypti!". 


Ioshiko Nobukuni 
(Sobrevivente da dengue hemorrágica).

A segunda receita:

Meio limão espetado com cravos da índia ajuda a afastar o Aedes Aegypt, e até pernilongos. Faça como na foto. Enterre alguns cravos em meio limão. Faça isso com 3 ou 4 limões e espalhe pela casa.

Mais uma arma para afastar os mosquitos e se prevenir contra a dengue, malária e outras doenças transmitidas por mosquitos!
Em um dia de infestação, incremente a receita com pó-de-cravo, assim você ficará livre dos mosquitos por uma semana inteira! Faça o teste e deixe o inseticida de lado!


Gostaram? Então um
lindo e repousante
fim de semana à
todos vocês!!!
Related Posts with Thumbnails

RECOMENDO COM LOUVOR