Seguidores

quinta-feira, 29 de maio de 2014

O PIOR EGO É O QUE NÃO QUER TER EGO

Boa noite gente linda do meu core!
Saudades de todos vocês!
Achei esse artigo super interessante porque já passei por algo parecido quando frequentei uma escola iniciática. Fiquei tão mortalizada ao descobrir meus defeitos que tive a pretensão de querer me livrar de todos eles de uma vez por todas!!! Quanta ingenuidade!!!
Pra começo de conversa não se pode "eliminar" o ego...Pelo menos enquanto vivermos neste mundo de dualidades. O que podemos é trabalhar nossas qualidades para que elas ofusquem os defeitos equivalentes. Para isto é imprescindível muita paciência e humildade...
Vamos ao texto:


O PIOR EGO É O QUE NÃO QUER TER EGO: O "EGO ESPIRITUAL".

"O desejo intenso de não ter um "ego" e a obsessão de apontar o dos outros revela uma dificuldade de amadurecer e florescer no que temos de melhor, inibindo o potencial de realização no trabalho, no conhecimento, na vida amorosa-sexual e na espiritualidade humanizada.
Querer "não ter um ego" nos impede de ser quem somos e cria um campo fértil para a fofocas e a difamação das qualidades, das realizações e da felicidade de outros... Permanecemos tímidos, oprimidos e orgulhosos, na nossa falsa modéstia, mostrando ao mundo uma face oculta, deformada, pretensiosa e falsa. O pior ego é o que não quer ter um e idealiza uma perfeição distante, impossível e mentalmente opressora.
Aqueles que "transcenderam o ego" não se preocupam com nada disso pois falam claramente que o que chamamos de "ego" é um sonho sobre nós mesmos, uma ilusão na qual nos prendemos por medo de Ser...
Crescer, amadurecer e realizar-se no mundo é condição essencial de amar a nós mesmos e a todos os demais com respeito, carinho e compaixão. Valorize, cuide e demonstre o seu melhor. Não se preocupe com o ego, seu e o dos outros, e viva a sua vida de verdade. Do contrário o que nos resta é um limbo em que permanecemos recuados diante da vida e críticos em relação a nós mesmos e a realização dos demais." 
(Sabodhi) — com Mariza Soares.
       E aí gostaram?
Gostaria de saber a opinião de vocês!
Beijos

domingo, 11 de maio de 2014

MÃES PRECISAVAM SER ETERNAS...


Desejo a todos um feliz dia das mães!
O meu está sendo ótimo, só minha filha não pode estar aqui comigo mas almoçamos todos em família e minha mãe, é claro estava presente.
Deixa eu contar um pouco sobre minha mãe:
O nome dela é Elvira, nasceu na cidade de Ingás/SP (Distrito de Nova Granada), no sítio. Trabalhou na roça, aprendeu corte e costura e dava aulas para as mulheres da região.
Minha mãe sempre gostou de aprender e de se informar. Ela queria estudar, porém, naquela época era impossível, já que isto implicava ela ter que sair de casa e ir para alguma cidade vizinha. Por este motivo somente meu tio Helio, o único irmão de minha mãe saiu para estudar fora de casa.
Mas com muita força de vontade e curiosidade,  minha mãe exercia várias tarefas na cidadezinha em que vivia. Ela aplicava injeções, cortava cabelos, fazia permanentes, costurava e ajudava os pais na plantação e deveres de casa. Casou-se muito cedo com meu pai, que vinha de uma família numerosa e morava na mesma região.
Meus avós, segundo minha mãe nunca se entenderam bem e haviam brigas constantes em casa, coisa que a deixava muito aborrecida. Desde criança ela tinha desmaios, cuja causa jamais foi diagnosticada. Este problema cessou a partir de quando deu a luz a sua primeira filha, cujo parto foi muito complicado. O médico avisou meu pai de que só poderia salvar uma das duas, e então eles pediram que salvassem a minha mãe. Naquele tempo o parto era feito em casa, não havendo qualquer recurso clínico para estas complicações. No entanto, o médico que a atendeu era devoto de Santo Antonio e de Santa Terezinha e fez uma promessa: Se conseguisse salvar a mãe e a criança, esta se chamaria Antonio ou Terezinha. É claro que ele pediu o consentimento dos meus pais primeiro. E assim, depois de muita luta e sofrimento, minha irmã nasceu e ambas sobreviveram. Minha irmã se chama Terezinha em agradecimento à Santa. 
Quatro anos depois minha mãe engravidou de mim, mas não estava preparada para passar por mais um parto, assim sendo passou toda a gravidez com medo de que o parto fosse igual ao primeiro. Este fato marcou a minha vida porque, eu cresci me sentindo rejeitada e ao mesmo tempo eu rejeitava minha mãe. Passei boa parte da minha vida me sentindo muito culpada porque minha mãe era uma pessoa muito querida por todos que a rodeavam. Só bem mais tarde eu comecei a procurar ajuda junto aos profissionais especializados. Fiz terapia, procurei psicologos, parapsicologos e tratamentos holísticos. E foi em uma seção de regressão que eu matei a charada. Descobri que minha mãe não me rejeitava mas tinha medo de um novo parto, que acabou se realizando sem maiores complicações.
Felizmente tudo foi esclarecido numa longa conversa que tive com minha mãe e ela pode me contar em detalhes tudo o que ocorreu. Eu a perdoei, a compreendi e a situação em relação a ela mudou totalmente. 
Gosto de contar este fato para que muita gente que tenha problemas com os pais vá procurar ajuda. Vale a pena descobrir os "porquês", isto nos trás um grande alívio e pode resolver uma série de problemas familiares.
Depois que nasci, passados quatro anos veio minha irmã caçula, a Odete. Fomos criadas com muito respeito e amor e temos uma grande admiração por esta mulher guerreira e batalhadora que soube nos dar uma boa educação. 
Aproveito a oportunidade pelo dia das mães para agradecer a Deus pela minha família e principalmente por esta mulher incrível que é minha mãe!
Sempre que posso a homenageio com algum poema, mas hoje resolvi contar um pouquinho da sua história para que todos saibam que mãe maravilhosa eu tenho!

Obrigada dona Elvira!!!!
 Te amo muito!!!!

 photo 36bef642.gif

quarta-feira, 7 de maio de 2014

VOCÊ TEM COMPULSÃO POR COMPRAS?


Olá gente linda do meu core...Saudades!!!!

Tenho algumas amigas que confessaram que já tiveram problemas com o consumismo excessivo. Uma delas, artesã, disse que usava o trabalho como uma desculpa para poder "comprar" cada vez mais. Explicando melhor, a pessoa trabalha não com o intuito de ganhar dinheiro, de progredir, mas para poder dar vazão ao que elas mais gostam, gastar. Esta amiga revelou que comprava TUDO o que se referia ao trabalho, como, ferramentas (que ela nem iria usar), revistas sobre artesanato, uma infinidade de tintas e pinceis que não eram necessários, etc...
Conheci uma outra, que veio trabalhar comigo como esteticista, que se preocupava muito mais com a decoração do ambiente do que com o trabalho em si...A  questão é comprar, comprar e comprar...Só que, elas me relataram que depois das compras (absurdas), elas se arrependiam profundamente, e tinham ainda que lidar com as dívidas.

Você já passou por uma situação semelhante?  Costuma sair do shopping cheio de sacolas com coisas que provavelmente nunca vai usar e sente um misto de prazer e culpa? Cuidado, você pode ter uma compulsão por compras. Esse foi o tema do programa @saude ( http://noticias.uol.com.br/saude) , que trouxe depoimentos de integrantes do grupo Devedores Anônimos de São Paulo.

Em entrevista a Jairo Bouer, a psicóloga Tatiana Filomensky, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), explica que o limite entre o gostar de comprar e a compulsão é quase imperceptível... Mas o sofrimento que se segue à prática pode definir o comportamento compulsivo. "A dívida não é um critério diagnóstico, porém é presente em 90% dos casos", conta. 

Comprar compulsivamente é um transtorno do impulso que muitas vezes está associado a outros problemas, como depressão, ansiedade ou transtorno afetivo bipolar. Por isso, às vezes é necessário o acompanhamento psiquiátrico e o uso de medicamentos. Segundo Filomensky, homens e mulheres podem sofrer da compulsão, mas elas procuram mais ajuda. 
Porém, nem todos percebem quando tem uma doença assim...É preciso ficar atento e buscar ajuda junto aos especialistas, antes que os estragos sejam maiores.


Dez indícios que mostram que você é consumista

Mentir sobre suas compras, ir ao shopping constantemente sozinho ou descontar no cartão de crédito frustrações com a vida pessoal são características de quem exagera nas compras e pode, um dia, se tornar um comprador compulsivo

Ser adepto do consumo excessivo pode acarretar muitos problemas — que variam desde a dificuldade de relacionamento à ruína financeira. Nem sempre o exagero nas compras indica um distúrbio ou comportamento excessivo, mas isso não significa que não mereça atenção. Em tempos de crédito farto, juros altos e facilidade de acesso aos produtos, sobretudo no varejo on-line, consumir demais pode se tornar um caminho sem volta. Confira a lista  (no link abaixo) com dez características daqueles que podem se tornar futuros oniomaníacos — mais conhecidos como compradores compulsivos. 

Fontes:
http://veja.abril.com.br/noticia/economia/dez-indicios-que-mostram-que-voce-e-consumista?utm_source=redesabril_veja&utm_medium=twitter&utm_campaign=redesabril_veja&utm_content=feed&

http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/07/25/compulsao-por-compras-e-doenca-e-tem-tratamento-diz-psicologa.htm

E agora vou começar o meu giro pelos blog de todos vocês...


Beijos carinhosos



 photo 36bef642.gif
Related Posts with Thumbnails

RECOMENDO COM LOUVOR