Seguidores

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

ONDE DORMEM AS CRIANÇAS DO MUNDO/ CONTRASTES DA HUMANIDADE


James Mollison viajou ao redor do mundo e decidiu criar uma série de fotografias mostrando os quartos infantis que foi enfim compilada em um livro, intitulado Onde as criança dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por uma legenda estendida que conta a história da criança. As diferenças entre cada espaço do sono é impressionante.

  
Mollison nasceu no Quênia em 1973 e cresceu na Inglaterra. Depois de estudar arte e design na Universidade de Oxford Brookes, e cinema e fotografia em Newport School of Art and Design, ele se mudou para a Itália para trabalhar no laboratório criativo da fábrica da Benetton.

O projeto tornou-se uma referência de pensamento crítico sobre a pobreza e a riqueza, sobre a relação das crianças com as suas posses -ou a falta delas-. O fotógrafo espera que seu trabalho ajude outras crianças a pensar sobre a desigualdade no mundo, para que, talvez, no futuro eles pensem como agir para diminuir esta diferença.



Lamine, 12 anos, vive no Senegal. As camas são básicas, apoiadas por alguns tijolos. Aos seis anos, todas as manhãs, os meninos começam a trabalhar na fazenda-escola onde aprendem a escavação, a colheita do milho e lavrar os campos com burros. Na parte da tarde, eles estudam o Alcorão. Em seu tempo livre, Lamine gosta de jogar futebol com seus amigos.

Tzvika, nove anos, vive em um bloco de apartamentos em Beitar Illit, um assentamento israelense na Cisjordânia. É um condomínio fechado de 36.000 Haredi. Televisões e jornais são proibidos de assentamento. A família média tem nove filhos, mas Tzvika tem apenas uma irmã e dois irmãos, com quem divide seu quarto. Ele é levado de carro para a escola onde o esporte é banido do currículo. Tzvika vai à biblioteca todos os dias e gosta de ler as escrituras sagradas. Ele também gosta de brincar com jogos religiosos em seu computador. Ele quer se tornar um rabino, e sua comida favorita é bife e batatas fritas.



Jamie, nove anos, vive com seus pais e irmão gêmeo e sua irmã em um apartamento na quinta Avenida em Nova Iorque. Jamie frequenta uma escola de prestígio e é um bom aluno. Em seu tempo livre, ele faz aulas de judô e natação. Quando crescer, quer se tornar um advogado como seu pai.


Indira, sete anos, vive com seus pais, irmão e irmã, perto de Kathmandu, no Nepal. Sua casa tem apenas um quarto, com uma cama e um colchão. Na hora de dormir, as crianças compartilham o colchão no chão. Indira trabalha na pedreira de granito local desde os três anos. A família é muito pobre para que todos tenham que trabalhar. Há 150 crianças que trabalham na pedreira. Indira trabalha seis horas por dia além de ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Ela também freqüenta a escola, a 30 minutos a pé. Sua comida preferida é macarrão. Ela gostaria de ser bailarina quando crescer.


Kaya, quatro anos, mora com os pais em um pequeno apartamento em Tóquio, Japão. Seu quarto é forrado do chão ao teto com roupas e bonecas. A mãe de Kaya faz todos os seus vestidos e gostos -Kaya tem 30 vestidos e casacos, 30 pares de sapatos, perucas e um sem contar de brinquedos. Quando vai à escola fica chateada por ter que usar uniforme escolar. Suas comidas favoritas são a carne, batata, morango e pêssego. Ela quer ser cartunista quando crescer.



Douha, 10, mora com os pais e 11 irmãos em um campo de refugiados palestinos em Hebron, na Cisjordânia. Ela divide um quarto com outras cinco irmãs. Douha freqüenta uma escola, a 10 minutos a pé, e quer ser pediatra. Seu irmão, Mohammed, matou 23 civis em um ataque suicida contra os israelenses em 1996. Posteriormente, os militares israelenses destruíram a casa da família. Douha tem um cartaz de Maomé em sua parede.



Jasmine (Jazzy), quatro anos, vive em uma grande casa no Kentucky, EUA, com seus pais e três irmãos. Sua casa é na zona rural, rodeada por campos agrícolas. Seu quarto é cheio de coroas e faixas que ela ganhou em concursos de beleza. A garota já participou de mais de 100 competições. Seu tempo livre é todo ocupado com os ensaios. Jazzy gostaria de ser uma estrela do rock quando crescer.




A casa para este garoto e sua família é um colchão em um campo nos arredores de Roma, Itália. A família veio da Romênia de ônibus, depois de pedir dinheiro para pagar as passagens. Quando chegaram em Roma, acamparam em terras particulares, mas foram expulsos pela polícia. Eles não têm documentos de identidade, de forma que não conseguem um trabalho legal. Os pais do garoto limpam pára-brisas de carros nos semáforos. Ninguém de sua família foi um dia para a escola.




Dong, nove anos, vive na província de Yunnan, no sudoeste da China, com seus pais, irmã e avó. Ele divide um quarto com a irmã e os pais. A família tem uma propriedade que permite cultivar quantidade suficiente de seu próprio arroz e cana de açúcar. A escola de Dong fica a 20 minutos a pé. Ele gosta de escrever e cantar. Na maioria das noites, ele passa uma hora fazendo o seu dever de casa e uma hora assistindo televisão. Dong gostaria de ser policial.



Roathy, oito anos, vive nos arredores de Phnom Penh, Camboja. Sua casa fica em um depósito de lixo enorme. O colchão de Roathy é feito de pneus velhos. Cinco mil pessoas vivem e trabalham ali. Desde os seis anos, todas as manhãs, Roathy e centenas de outras crianças recebem um banho em um centro de caridade local, antes de começar a trabalhar, lutando por latas e garrafas de plástico, que são vendidos para uma empresa de reciclagem. Um pequeno lanche é muitas vezes a única refeição do dia.

Thais, 11, mora com os pais e a irmã no terceiro andar de um bloco de apartamentos no Rio de Janeiro, Brasil. Ela divide um quarto com a irmã. Vivem nas vizinhanças da Cidade de Deus, que costumava ser conhecida por sua rivalidade de gangues e uso de drogas. Thais é fã de Felipe Dylon, um cantor pop, e tem pôsteres dele em sua parede. Ela gostaria de ser modelo.


Nantio, 15, é membro da tribo Rendille no norte do Quênia. Ela tem dois irmãos e duas irmãs. Sua casa é uma pequena barraca feita de plástico. Há um fogo no centro, em torno do qual a família dorme. As tarefas de Nantio incluem cuidar de caprinos, cortar lenha e carregar água. Ela foi até a escola da aldeia por alguns anos, mas decidiu não continuar. Nantio está esperando o seu moran (guerreiro) para casar. Ela só tem um namorado no momento, mas não é incomum para uma mulher Rendille ter vários namorados antes do casamento.



Joey, 11, mora em Kentucky, EUA, com seus pais e irmã mais velha. Ele acompanha regularmente o seu pai em caçadas. Ele é dono de duas espingardas e uma besta, e fez sua primeira vítima -um cervo- quando tinha sete anos. Ele está esperando para usar sua besta durante a temporada de caça seguinte. Ele ama a vida ao ar livre e espera poder continuar a caçar na idade adulta. Sua família sempre come carne de caça. Joey não concorda que um animal deve ser morto só por esporte. Quando não está caçando, Joey freqüenta a escola e gosta de ver televisão com o seu lagarto de estimação, Lily.



Quanta diversidade!
Mas a vida é assim mesmo, e tudo
tem uma razão maior de ser...
Coisas que nem sempre podemos
compreender.
Bom findis!!!!


Photobucket

14 comentários:

Ajuricaba disse...

Absolutamente espetacular. Que trabalho magnífico. Fiquei impressionado com o americaninho cujo pai é tarado e o faz "brincar" com armas.

Célia disse...

Excelente pesquisa você me proporcionou! Uma realidade nua e crua. Nas adversidades vive-se mesmo assim. E, os sonhos de realização sempre para o melhor povoam as mentes...
Abraço, Célia.

Célia disse...

Excelente pesquisa você me proporcionou! Uma realidade nua e crua. Nas adversidades vive-se mesmo assim. E, os sonhos de realização sempre para o melhor povoam as mentes...
Abraço, Célia.

Sônia Silvino disse...

Simplesmente espetacular, amiga!
Li tudinhooooooo!
Eita mundão de Deus!!!! Põe diversidade nisso.
Beijocas!

Cissa Branco disse...

Márcia,

Quando vi a primeira vez notas sobre essa exposição me emocionei muito. Adorei o enfoque, o trabalho e a tradução da realidade.
Parabéns pelo post.
Grandes beijos e ótimo final de semana

edumanes disse...

Trabalho magnifico
Excelentes imagens
Muitas crianças sem terem abrigo
Outras em luxuosas viagens
A miséria se vais alastrando
O mundo a ser mal governado continua
Umas dormem em luxuosa vivendas
Outras continuam dormindo na rua!

Obrigado pela sua visita
O futuro negro se avizinha
Quem nos políticos acredita
Vai ficar sem nadinha?

Desejo um bom fim de semana para você.
Um abraço
Eduardo.

Anne Lieri disse...

Marcia,um contraste de várias realidades que nos choca, de fato!Excelente seu texto!Hoje vc está no meu blog Recanto dos autores.Bjs,

Cissa Branco disse...

Amiga,

Obrigada pela força, tudo se ajeita, rs.
Grandes beijos e ótimo final de semana para você e sua família

Eneida Freire disse...

Super interessante!!!
Eu não conhecia!
Muito bom!
Gostei daqui e já estou seguindo!
http://tengavolantes.blogspot.com

fatti___ disse...

oi amada! prazer em te conhecer viu, li todos seus comentários sobre as crianças de cada país, que contraste não, o que me cortou o coração foram as crianças sem um minimo de conforto e educação, isso é muito trsite e nao só fora do país vemos isso como em nosso Brasil temos isso como acompanhante em nossos caminhos, é uma pena que nesse mundo tão gigantesco exista tanta diversidade, é o mundo em que vivemos.

adorei o post muito bem eleborado e cultura eu amo!

bjus querida, estarei por aqui tb.

fatti

mfc disse...

Revolta ver a iniquidade de quem nada faz (podendo fazê-lo) para remover estas desigualdades!

E a revolta ainda é maior pensando (como alguns pensam) que alguém "criou" isto!

Clara Miranda disse...

Oi Marcia!
Adorei esse seu post.
Muito bom esse trabalho!
Abraços!

ValeriaC disse...

Excelente trabalho deste profissional, minha querida.
As diferenças são gritantes e vejo com muita tristeza as diversas realidades em que vivem estas crianças, algumas com falta absoluta de tudo, outras com mimos em exagero, ou sendo cultivadas futilidades em suas vidas, eu realmente lamento, mas por outro lado, sei que nada na vida é por acaso; cada pessoa, seja adulto, ou na forma de criança, antes de tudo é um espirito, que vem à vida para desenvolver-se, superar-se, despertarem-se, então tudo é modo de experienciar a vida e pode ser trabalhado e até mesmo mudado, o que não impede que haja solidariedade entre os povos, até mesmo vermos tudo isso, gera sentimento de empatia, desejo de ajudar os outros e isso também tem sua importância. No fundo todos somos de certo modo "instrumentos carmáticos" uns dos outros e tudo isso leva à evolução como um todo.
Boa semana amiga...beijos
Valéria

Bell disse...

Seguindo vc tb.

Seu blog proporciona reflexões isso é muitoooo bom.

bjokas =)

Related Posts with Thumbnails

RECOMENDO COM LOUVOR